Projeto Capoerê

Projeto Capoerê

O termo Capoerê foi dado por Frede Abreu para um projeto que contempla o ensino da Capoeira Regional (Luta Regional Baiana) para crianças. Trata-se da fusão de duas palavras: capoeira + erê. No dialeto Africano Yoruba, erê significa brincar. Assim capoerê vem para significar “brincar com capoeira”.

Embora a ideia central do projeto é a recreação, os objetivos do Projeto Capoerê vão muito além disso. Dentre eles, destacamos:

  • Trabalhar a Luta Regional Baiana, curso voltado ao equilíbrio físico e lógico-emocional através da cultura física. Envolve treinos de resistência, força física, alongamento e movimentos de explosão através da metodologia de Mestre Bimba, um condicionamento que aplica técnicas de ataque e defesa em conjunto com a musicalidade, ao mesmo tempo em que promove grandes melhorias no comportamento e no relacionamento interpessoal dos jovens;
  • Trabalhar o aprendizado dos instrumentos de percussão, caracterizados pelo baixo grau de complexidade e fácil identificação do brasileiro para com os mesmos;
  • Desenvolver trabalho em rede, agregando parceiros à ação social do Instituto disponibilizando a logomarca do Instituto como registro da responsabilidade social.

A Capoeira Regional carrega um fortíssimo teor educador e condicionador em sua essência. Os praticantes dessa arte puramente brasileira tornam-se pessoas mais atentas ao ambiente que os circula, mais disciplinadas e com geração rápida de respostas a estímulos; tornam-se também mais saudáveis fisicamente através da redução dos graus de obesidade. Por se tratar de um método formatado em módulos e intensamente baseado no cuidado com o parceiro de treino, encaixa-se perfeitamente no contexto do jovem. Os recursos humanos utilizados no projeto, em particular os educadores, são advindos dessa mesma ação social, gerando um protagonismo social exemplo para as novas gerações.

Através de sua grade multidisciplinar, o IMEC desenvolve projetos que agregam a educação e cultura, capacitando indivíduos e disponibilizando os mesmos para atuação em instituições diversas. É o desenvolvimento do micro, para a contribuição de sistemas maiores como empresas e instituições em geral. Assim, o presente projeto ergue uma nova bandeira: a de contribuir com o desenvolvimento das crianças e jovens, aqueles que precisam de alguém que pegue em suas mãos e os ensinem a gingar com a vida, esquivando-se de seus extremos de comportamento típicos da pré-adolescência e adolescência, e jogando o jogo da convivência entre seus queridos e familiares.